Contrato de lixo sem licitação em SFI custa quase meio milhão por mês

Por Ralfe Reis Um verdadeiro ambiente de desconforto foi criado na cidade a partir da contratação sem licitação da empresa JL & M CONSTRUTORA

Por Ralfe Reis

Um verdadeiro ambiente de desconforto foi criado na cidade a partir da contratação sem licitação da empresa JL & M CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA – ME, fundada em 17/09/2010 para a realização de serviços da coleta de resíduos sólidos com destinação final em aterro sanitário licenciado.

O  valor da coleta por mês chega perto de R$ 500 mil reais.

A prefeita da cidade tomou posse em Janeiro de 2017 e até hoje mantém o serviço como emergencial.

O contrato se iniciou em 06 de janeiro de  2017. O proprietário dessa empresa é Luiz Henrique  de Souza Barbalho, um próspero empresário no ramo do lixo.

Esta mesma empresa é responsável pelas coletas  de lixo em várias cidades do Estado do Rio de Janeiro, destacando-se Bom Jesus de Itabapona, Itaperuna, São Francisco de Itabapoana – embora a atividade principal da empresa seja a construção de edifício.

Um dado curioso: Todos os contratos são de forma emergencial.

O contrato na  cidade de Bom Jesus era de R$ 300 mil reais mensais, embora  aquela cidade tenha muito mais domicílios atendidos pela coleta.

Em São Francisco, segundo fontes, quem é a responsável pelo contrato é uma jovem senhora.

Não há notícias a respeito da presença física do proprietário da empresa, que sustenta em seu contrato social ser sediada em Brasília.

Share This:

COMMENTS

WORDPRESS: 0