O desespero do judiciário

Ontem fomos surpreendidos por uma decisão inusitada, advinda de um pedido ainda mais inusitado do Ministério Público, que impôs embargos a Wladimir Garotinho, no âmbito da faigerada “operação chequinho”.

Não restam dúvidas que há uma ação política como pano de fundo de toda esta operação, haja vista os diversos atropelos processuais, de competência e de condenações, diferentes em todos os casos. Porém, mesmo diante de tudo isso, Wladimir não era sequer investigado, quanto mais réu para sofrer alguma sanção deste processo.

A mídia local, como chacais, fizeram estripulias para divulgar esta decisão, um jornal (que não falarei o nome para que não me causem urticárias), chegou a tropeçar nas pernas e noticiar que Wladimir havia sido condenado, como se fosse possível alguém ser condenado sem ter sido aberto um inquérito (Sherlock’s).

Anteposto, não restam dúvidas que os poderosos que orquestraram esta estratagema estão desesperando-se, e viram no filho de Garotinho, que tem se destacado ao realizar ações em prol das pessoas que ficaram sem ter o que comer com o fechamento do Restaurante Popular, um vetor para fortalecimento do nome do pai.

Aguardem, essa semana ainda promete muitas emoções.

maycomorais

Bacharelando em Engenharia Civil, jornalista, blogueiro, desenhista, amante de artes, cinema, quadrinhos, Action Figures e Jiu-Jitsu.

You May Also Like

One thought on “O desespero do judiciário

  1. até qdo vamos nos sujeitar a estes desmandos do ministério publico, o que me deixa um pouco tranqulo é que não são todos os promotores que agem desta maneira, que medo essa gente tem da familia garotinho ? se fossem perigosos já teriam agido, eles tem medo que descobram as roubalheiras desse atual prefeito interino deve esta morrendo de medo, eu não moro em campos e torço pra que o povo possa se livrar dessa cambada de imcopetentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *