Assessor do Flu e presidente da Raça Rubro-negra presos

Rio - A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio (MP-RJ) realizam na manhã desta segunda-feira a segunda fase da "Operação Limpidus", que tem com

Artur Mahmoud chega à Cidade da Polícia

Rio – A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio (MP-RJ) realizam na manhã desta segunda-feira a segunda fase da “Operação Limpidus”, que tem como alvo dirigentes de clubes do Rio, empresas de vendas de ingresso e líderes de torcida organizada. São nove mandados de prisão a serem cumpridos e até o momento três pessoas foram presas.

Entre os presos está o assessor de imprensa da presidência do Fluminense, Artur Mahmoud, além de Leandro Schilling, chefe da Imply — empresa responsável pela confecção de ingressos —, e Alesson Galvão de Souza, presidente da Torcida Organizada Raça Fla.

Na última semana, durante a primeira fase da operação, três integrantes de torcidas organizadas do Fluminense foram presos acusados de receber ingressos da diretoria do clube e revendê-los para cambistas. Membros das diretorias de Botafogo, Flamengo, e também do Fluminense foram conduzidos para prestar depoimento.

Segundo a Polícia Civil, os quatro grandes clubes do Rio de Janeiro são suspeitos de fazer repasse de ingressos para torcidas organizadas, mesmo com estas suspensas de frequentar os estádios.

“Um clube fomenta a violência na medida em que fornece ingresso descumprindo decisão judicial entregando para torcidas organizadas afastadas por motivos de violência”, disse a delegada Daniela Terra, titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), em entrevista ao Bom Dia Rio.

 O Dia

Share This:

COMMENTS

WORDPRESS: 0